Corpo do jogador Emiliano Sala chega à Argentina para funeral e homenagens

0
36

O caixão com o corpo do jogador argentino Emiliano Sala, falecido em um acidente aéreo quando voava de Nantes a Cardiff no dia 21 de janeiro, chegou a Argentina nesta sexta-feira (15) para ser trasladado até sua pequena cidade natal de Progreso, no norte do país.

“É um dia tristemente histórico para Progreso, jamais imaginamos, seguimos em choque”, disse à AFP Daniel Ribero, presidente do clube San Martín de Progreso, onde Sala jogou por 10 anos.

O corpo do jogador chegou às 09h05 (10h05 em Brasília) ao aeroporto internacional de Ezeiza, perto de Buenos Aires, em um voo da British Airways que saiu de Londres.

Mirta Taffarel, tia de Emiliano Sala, chora enquanto aguarda a chegada do corpo do sobrinho, do lado de fora de uma funerária em Santa Fe, na Argentina, na sexta-feira (15) — Foto: AP Photo/Natacha Pisarenko

Mirta Taffarel, tia de Emiliano Sala, chora enquanto aguarda a chegada do corpo do sobrinho, do lado de fora de uma funerária em Santa Fe, na Argentina, na sexta-feira (15) — Foto: AP Photo/Natacha Pisarenko

Após sua chegada a Buenos Aires, o caixão foi trasladado à cidade de Santa Fe para seu velório, e no sábado de manhã será levado por terra a Progreso, a 81 km de distância, onde será realizada uma homenagem.

“Vamos lhe dar a despedida que ele merece”, disse à AFP Julio Müller, prefeito do povoado natal de Sala. “Era nosso ídolo. Estará eternamente entre nós”.

A maioria dos 3 mil habitantes de Progreso pretende colocar flores no caixão de Sala, que jogou para o clube San Martín desse povoado.

Fachada do Club Atletico y Social San Martin, onde será realizado o velório de Emiliano Sala, em Progreso, na província de Santa Fe, na Argentina — Foto: Juan Mabromata/AFP

Fachada do Club Atletico y Social San Martin, onde será realizado o velório de Emiliano Sala, em Progreso, na província de Santa Fe, na Argentina — Foto: Juan Mabromata/AFP

“Era um craque, se destacava muito. Quando terminávamos o treino, nós ficávamos, e eu fazia passes para ele melhorar a finalização”, conta o jogador do Banfield Nicolás Silva, que jogou com Sala em 2008 e 2009 no time Juventud Guadalupe, cedidos pelo Projeto Crescer.

“Era um menino magro, só tinha 15 anos, mas sentimos que tinha futuro, e ele adorava treinar. Enquanto seus amigos iam comer churrasco, ele ia correr”, diz Daniel Demonte, técnico do time reserva do San Martín de Progreso.

Sala morreu aos 28 anos quando o avião que o transportava caiu no Canal da Mancha. Ele se apresentaria ao clube galês Cardiff após uma trajetória de sucesso no Nantes (França).

No sábado, após a homenagem em Progreso, o corpo de Sala será novamente trasladado a uma funerária de Santa Fe para sua cremação.

G1

Deixe seu comentário