Grávida é amarrada em árvore, enforcada e tem bebê retirado de dentro da barriga no interior de MG

0
978

Um casal foi preso suspeito de matar a grávida Mara Cristina Ribeiro da Silva, de 23 anos, tirar o bebê dela de dentro da barriga e roubar a criança. O caso aconteceu em João Pinheiro (MG) e está sendo investigado pela Polícia Civil.

A vítima teria sido amarrada em um tronco e enforcada. O corpo dela foi encontrado na tarde de terça-feira (16), por pessoas que passavam por um matagal perto do km 143 da BR-040.

O caso
Segundo a Polícia Militar (PM), às 19h30 de segunda-feira (15), policiais foram acionados por funcionários do Hospital Municipal de João Pinheiro, que informaram que Angelina Ferreira Rodrigues, de 40 anos, tinha entrado na unidade de saúde muito agitada e com uma recém-nascida no colo dizendo que tinha acabado de dar à luz, porém, ela caminhava normalmente e se recusou a ser atendida por um médico obstetra.

Quando a PM chegou ao hospital, encontrou a família de Mara, que informou que ela estava grávida de oito meses, desaparecida desde às 13h30 e que a mulher que havia ido até a unidade de saúde morava com ela desde sábado (13). Uma testemunha, contou que viu Angelina e Mara saindo de casa com a outra filha de um ano.

De acordo com a polícia, Angelina foi convencida a se consultar com um médico e confessou  que o bebê era de um amigo e confirmou que mais cedo, saiu com a vítima, como a testemunha contou. Angelina explicou que uma pessoa ligou para Mara, marcando um encontro no bairro Água Limpa e ela foi acompanhando, junto com a filha da amiga, de um ano.

Quando chegaram, segundo Angelina, encontraram uma mulher de baixo porte, morena e de aproximadamente 40 anos, mas apenas Mara teria ido conversar com ela e Angelina e a criança ficaram esperando no local. Logo depois, a mulher voltou sem Mara, mas com o bebê e pedindo que levasse a criança para o hospital.

Angelina teria pedido que o marido, Roberto Gomes de Souza, de 57, a acompanhasse e deixou a filha de um ano de Mara com uma vizinha. Sem provas, o casal foi liberado.

De acordo com o delegado regional de Paracatu, Carlos Henrique Gomes Bueno, na manhã de terça-feira (16), Angelina foi novamente chamada na delegacia para esclarecer alguns detalhes e acabou confesando o crime e ainda disse que agiu sozinha. O marido dela também prestou depoimento e disse que era inocente.

O corpo de Mara foi encontrado na noite de terça e deve ser sepultado ainda hoje (17). O casal foi preso e a recém-nascida está internada no Hospital São Lucas, em Patos de Minas.

O Popular

Deixe seu comentário